10º Encontro Holístico Brasileiro – Reportagem completa

10º Encontro Holístico Brasileiro – Reportagem completa
Compartilhe!

Com o recorde de 4.400 inscrições, o 10º Encontro Holístico Brasileiro, realizado de 11 a 13 de março, se destacou como o maior evento da área no Brasil. Na décima edição integrou os temas saúde, ciência e espiritualidade, com a participação de mais de 40 palestrantes, no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O evento conta com o apoio da Frente Parlamentar Mista de Práticas Integrativas em Saúde, presidida pelo deputado federal Giovani Cherini (desde outubro de 2013). Pela primeira vez foi realizado, paralelamente às palestras, um simpósio e quatro seminários, além de atendimentos gratuitos com mais de 40 profissionais. Mais de duas toneladas de alimentos foram arrecadadas e serão distribuídas para instituições de caridade.

Músicas, dinâmicas, vivências, palmas, sorrisos, relaxamentos e danças fizeram parte do encontro com um banho de imersão em práticas holísticas. Quatro andares do Centro de Eventos do Plaza foram ocupados pelo público entre palestras, seminários, Mostra Holística com dezenas de expositores, além de atendimentos com o auxílio de terapeutas voluntários e da equipe do Hospital Divina Providência nas áreas de auriculoterapia, reiki, shiatsu, ayurveda, florais, pintura energética da aura, jinshinjyutsu, ativação da consciência crística, entre outros.

A abertura foi feita, no dia 11/03, pelo grande idealizador do Encontro Holístico, Giovani Cherini, que contou com a participação especial da terapeuta e facilitadora de Biodanza, Eloir Severo e demais integrantes da equipe. Cherini enfatizou a importância do toque, do abraço, do beijo, do elogio no dia a dia, não somente entre casais, mas também entre amigos. Metaforicamente, destacou que na escuridão basta acender a luz para iluminar o ambiente, mas que esse despertar ocorre de dentro para fora.

No primeiro dia do evento foi realizada a entrega do tradicional Prêmio Kokhmahá, destinado às entidades, instituições, veículos e pessoas que se destacaram na aplicação de terapias integrativas no campo da saúde e do meio ambiente: AUFAMISA, FEEU, Dr. Fernando Luchese, Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, Alzira de Oliveira Leite – Benzedeira; Prefeitura Municipal de Rebouças (PR), Prefeitura Municipal Uberlândia (MG); Associação Senhora de Lourdes – Projeto Amigo Pedrinho (SC).

Logo em seguida, aconteceu o Simpósio de Espiritualidade e Saúde da Santa Casa de Misericórdia, que apoiou o encontro pela primeira vez. O Dr. Mauro Pontes foi o primeiro a falar, cujo tema foi “A ciência médica aceita o novo paradigma da espiritualidade?” Na preleção explicou como a ciência e a medicina têm vencido as barreiras e utilizado a espiritualidade e a religiosidade em benefício dos pacientes. Informou que o aumento das publicações a respeito do tema aponta um maior interesse, tanto da classe médica quanto do público, em relação à espiritualidade e a religião. Revelou, inclusive, que muitos centros de pesquisa ao redor do mundo têm promovido pesquisas e simpósios para debater o elo entre a religiosidade, a espiritualidade e a saúde.

Na sequência, houve a participação do Dr. Álvaro Rösler com a palestra “Espiritualidade, saúde e qualidade de vida”. Ele trabalha no Hospital São Francisco na área de saúde e espiritualidade e revelou o aumento considerável sobre conceitos científicos e resultados de estudos clínicos publicados na literatura médica mundial.

De acordo com pesquisas feitas no hospital relatadas pelo médico, chegou-se à conclusão de que a cirurgia cardiovascular se utiliza da espiritualidade para também ser bem sucedida. Segundo ele, vários vícios já foram associados a algumas doenças, a exemplo da diabete, do tabagismo, do alcoolismo, do sedentarismo e do colesterol elevado.

Outras pesquisas apontam, também, que estas doenças podem estar ligadas com marcadores bioquímicos e regulação hormonal. Segundo informou, a religiosidade impacta no estilo de vida, “principal fator que contribui para a longevidade”. Informou que 80% dos pacientes relataram que utilizam a religião como auxílio para atravessar determinada etapa da doença. A ideia, na sua avaliação, não é prescrever simplesmente uma religião ou fé, mas trabalhar em conjunto para equilibrar o doente. Foi revelado, inclusive, que a necessidade espiritual e/ou religiosidade pode ser fonte de ansiedade durante a doença, principalmente em pacientes internados.

Informou, ainda, que em todas as idades foi detectado nas pesquisas que a religião diminui o distúrbio de ansiedade e depressão entre os pacientes, especialmente quem faz uso dela por meio de uma oração.

Por último, o Dr Fernando Luchese referiu sobre “A relação entre saúde e perdão”, tema da sua especialidade. Ele destacou a influência do perdão sobre mecanismos bioquímicos e hormonais e o impacto sobre a saúde física e mental. “O perdão é o antídoto da raiva”, afirmou. Fez a demonstração de evidências científicas que estabelecem o perdão como um importante promotor de saúde.

Segundo ele, a Santa Casa trata de uma linha de pesquisa entre a espiritualidade e a saúde, provando que existe uma conexão entre ambas. “Este é um novo paradigma da Medicina. Nós somos corpo, mente e espírito e esta tríade é inseparável”, salientou, ressaltando que as doenças de alma atingem o corpo diretamente, como a raiva, a inveja e a vaidade. “São as doenças da alma que geram as doenças do corpo”, concluiu dizendo ser imprescindível o apoio prestado pelo deputado Giovani Cherini para a contribuição das pesquisas a respeito.

Segundo dia

No segundo dia do evento, 12/03, Giovani Cherini fez nova saudação ao público promovendo uma sessão de relaxamento que foi conduzida pela terapeuta e psicóloga Eloir Severo. Durante a dinâmica, levou a plateia a fazer uma reconciliação e pedir perdão ao pai e à mãe.

Na oportunidade, Cherini sugeriu que todos os terapeutas aderissem às práticas integrativas de saúde e as disseminassem em suas cidades de origem. “Quem assim fizer será considerado um promotor da saúde”, recomendou.

Coube à cientista e parapsicóloga russa, Alexandra Matveeva, o início das palestras do dia 12/03. Ela abordou o tema “O Avanço da Bioeletrografia e suas Aplicações”. Matveeva trabalha no Brasil, atualmente, com o Método GDV (Visualização da Descarga de Gás), um equipamento que, através da captura de imagens e medição da descarga de gás dos dedos das mãos, processa e analisa o estado físico, emocional, psicológico e espiritual das pessoas.

O GDV foi desenvolvido das mais recentes descobertas da bioeletrografia e da física quântica. Esclareceu que o método foi utilizado durante anos pelo Ministério de Defesa Russa e até pelo Comitê Olímpico Russo na avaliação dos níveis de stress e otimização do desempenho dos seus atletas. O seu desenvolvimento se deu com base a medicina chinesa e ayurvédica (estudo dos meridianos), além de vários estudos e pesquisas com banco de sangue e pessoas que vivenciaram o pós-morte.

Explicou que a câmara GDV é o primeiro aparelho que oferece a oportunidade de estimar, objetivamente, as características do mundo da energia tênue com base rigorosamente científica. “A operação é baseada no registro pelo computador dos sinais bioeletrográficos provocados e da estimativa do estado da pessoa testada por meio da matemática não linear e métodos de prospecção de dados”, disse.

A análise se baseia na tomada digital das pontas dos 10 dedos. Um programa de computador compara as imagens colhidas com centenas de parâmetros armazenados. Estabelecendo o diagrama de saúde física, emocional, psicológica e espiritual, nível de stress e energização dos Chakras. “Todo esse processo é individual porque nenhuma pessoa é igual à outra”, disse, acentuando que a análise leva em consideração a idade e o sexo da pessoa examinada.

Por meio das informações passadas pela Alexandra, o interessado poderá trabalhar-se de forma consciente e até curar-se das doenças geradas pelo seu inconsciente como autodefesa. “Mais e mais pessoas querem saber sobre si, não como parte da sociedade, mas como parte do universo, parte do cosmo e de Deus. A ciência que girou em círculos, baseada pelos cinco sentidos e recusando tudo o que ficava além da existência material, tem, atualmente, provas e meios para abrir mentes e olhos à Nova Ciência, à Nova Consciência do Ser Humano, de energias, de poderes mais valiosos e conhecimentos dentro do Novo Milênio”, explicou Matveeva.

O Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, que também integrou o Seminário de Implantação das Práticas Integrativas pelos municípios, falou sobre o tema “Glândula pineal e a conexão para a salutogênese”. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), é Mestre em Ciências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP e pesquisador das áreas de Neurociências, Medicina e Espiritualidade. Vem ganhando notoriedade com suas pesquisas acerca do papel da glândula pineal em fenômenos ligados à mediunidade.

Diretor Clínico do Pineal-Mind Instituto de Saúde, é idealizador e coordenador do projeto Uniespírito – Universidade Internacional de Ciências do Espírito. Segundo explicou, a pineal está localizada no meio do cérebro, na altura dos olhos. Ela é um órgão cronobiológico, ou seja, um relógio interno. Informou que isso acontece por meio da captação das radiações do Sol e da Lua.

Na sua palestra ministrou uma aula inédita sobre a “Salutogênese”. Conforme disse, este termo refere-se a programas de promoção da saúde que visa ao fortalecimento da resiliência, diferentemente do tratamento da doença. “Salutogênese significa, então, o fortalecimento da pessoa com base no domínio espiritual”, informou, destacando que o termo foi criado pelo médico americano Antoniviski, já incorporado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Na oportunidade, Dr Sérgio informou que a pineal representa o órgão da interrelação entre o domínio espiritual e biológico focando para o entendimento dos mecanismos da Salutogênese.

“Nós vivemos em três dimensões e nos relacionamos com a quarta através do tempo. A pineal é a única estrutura do corpo que transpõe essa dimensão, que é capaz de captar informações que estão além dessa dimensão nossa”, ensinou, acrescentando que a afirmação de Descartes, do ponto em que a alma se liga ao corpo, tem uma lógica até na questão física, que é esta glândula que lida com a outra dimensão, e isso é um fato.

Resumindo sua explicação, informou que a pineal é um sensor capaz de ‘ver’ o mundo espiritual e de coligá-lo com a estrutura biológica. “É uma glândula, portanto, que vive o dualismo espírito-matéria. O cérebro capta o magnetismo externo através da glândula pineal”, esclareceu. Frequentemente, disse, a glândula pineal surge como o centro de nosso relacionamento com outras dimensões, e tem sido assim nas mais variadas correntes religiosas e místicas, há milhares de anos.

Dr. Sérgio Felipe atua como médico voluntário do ambulatório de cuidados integrativos do Setor de Investigação de Doenças Neuromusculares do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Logo a seguir foi a vez da conferência do Dr Renato Tadeu dos Santos cujo tema foi “Uso do Oxigênio Ozônio em Medicina Humana”. Exemplificou que a Ozonioterapia é uma técnica médica de baixo custo e elevada efetividade, com diminuição de dias de internação, redução das aposentadorias por invalidez, de fácil aplicação, de efeitos colaterais mínimos e cujas indicações abrangem um grande número de patologias crônicas, com rápida resposta.

“A Ozonioterapia utiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio, por diversas vias de administração, com finalidade terapêutica. Ozônio medicinal é sempre uma mistura de ozônio e oxigênio”, afirmou. De acordo com a indicação e tipo de aplicação, disse, a concentração, pode variar entre 1 e 100 mg/L (0,05-5% de ozônio). O profissional habilitado determina a dose adequada e a via de aplicação de acordo com a indicação, considerando as condições do paciente.

Referiu, ainda, que as aplicações de Ozonioterapia são determinadas por suas propriedades antiinflamatórias, antissépticas, de modulação do estresse oxidativo, de melhora da circulação periférica e da oxigenação. Isto determina o amplo número de patologias em que a Ozonioterapia pode ser utilizada de modo isolado ou complementar.

Indicou que as concentrações e modo de aplicação variam de acordo com a afecção a ser tratada, já que a concentração de ozônio determina o tipo de efeito biológico e o modo de aplicação relaciona-se à sua ação no organismo. Dessa maneira, informou, podem ser tratadas pela Ozonioterapia patologias de origem inflamatória, infecciosa e isquêmica. Por sua habilidade de estimular a circulação, disse que a Ozonioterapia é usada no tratamento de doenças circulatórias. Possui propriedades bactericidas, fungicidas e virustáticas e é largamente utilizada para tratamento de feridas infectadas.

Garantiu que várias doenças podem ser influenciadas positivamente ou mesmo curadas pela Ozonioterapia. “Este é um fato que é confirmado por uma série de investigações científicas e de publicações médicas. De modo geral, o ozônio medicinal é aplicado paralelamente a outros medicamentos, podendo ser utilizado como terapia complementar”, complementou.

Em resumo, o ozônio medicinal pode ser indicado para o tratamento de: hérnia de disco, protrusão discal, dores lombares; feridas infectadas quaisquer, inflamadas, de difícil cicatrização, como úlceras nas pernas, de origem vascular, arterial ou venosas (varizes), úlceras por insuficiência arterial, úlcera diabética, risco de gangrena; queimaduras; problemas circulatórios; diversas doenças e condições do paciente idoso; doenças causadas por vírus, tais como hepatites, herpes simples e herpes zoster; colites e outras inflamações intestinais crônicas; dores articulares decorrentes de doenças inflamatórias crônicas; imunoativação geral; e como terapia complementar para vários tipos de câncer.

A professora de Yoga, Vera Edler, palestrou sobre “Yoga ao alcance de todos”. Ao longo de sua trajetória de mais de 30 anos dedicados às causas humanitárias e ao Yoga, vem ministrando aulas práticas, formação profissional, palestras, cursos, oficinas, viagens de estudos e meditação, eventos para disseminação de valores humanos e cultura de paz. Na sua preleção explicou o que é o Yoga, suas origens ancestrais, meta e efeitos, além das técnicas que compõem a prática completa e quem pode praticar. Explicou que está técnica significa união, integração.

“O Yoga é uma Filosofia de vida prática que surgiu na Índia há mais de 5.000 anos, criada por Shiva. Originalmente, sua transmissão era oral, diretamente de Mestre para discípulo. Hoje, uma vasta bibliografia favorece o contato dos interessados com os princípios dessa Filosofia milenar. Independente da metodologia, informou que a meta do Yoga é sempre a mesma: o autoconhecimento, a hiperconsciência. Para tanto, disse que um conjunto de técnicas promovem profundas transformações na estrutura biológica do praticante.

“São efeitos saudáveis, desejáveis, que se manifestam na vitalidade orgânica, flexibilidade, fortalecimento muscular, administração do estresse, estabilidade mental e emocional, ampliando a qualidade de vida e a longevidade. Os efeitos são imediatos e duradouros, cultivando o corpo, o prazer, o bem-estar, a liberdade, a alegria, a sexualidade saudável, a prosperidade, sem esquecer o objetivo principal que é a evolução interior. Sem nenhuma contraindicação, pode ser praticado por qualquer pessoa”, explanou, salientando que o Yoga promove, também, a redescoberta de si mesmo, a integração pessoal, interpessoal e cósmica, potencializando tudo de bom que existe no ser humano, único ser na natureza capaz de evoluir conscientemente. Ao final, fez uma vivência de relaxamento com o público. “Sempre que puder pare e respire, profunda e conscientemente”, afirmou, dizendo que é este o caminho na busca de melhor qualidade de vida.

O especialista em Ginástica cerebral, Carlos Maurício Prado, é terapeuta visual. Ensinou exercícios cerebrais simples, de apenas 1 minuto cada, que ativam os dois hemisférios ao mesmo tempo, direito/emocional e esquerdo/racional, para melhorar memória, concentração, aprendizado, autoestima e raciocínio. Trata-se de um trabalho científico desenvolvido na Universidade da Califórnia, servindo para qualquer idade: crianças com dificuldade escolar, jovens para não dar branco no Vestibular, adultos para eliminar o estresse, idosos para manter a mente em forma na terceira idade e prevenir Mal de Alzheimer. A palestra prática apresentou o “Aquecimento Cerebral de 7 minutos” a ser feito pela manhã, antes de sair de casa, ligando o que chama de ‘motorzinho da mente’ para o dia render mais, e obter sucesso no trabalho, nos estudos, nos negócios e na vida pessoal.

Na oportunidade, indicou o livro prático ilustrado “Ginástica cerebral”, um trabalho científico da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, que foi trazido para o Brasil em primeira mão.

Após o intervalo, na Vivência aberta para todos, o psicobiólogo e pesquisador Ricardo Monezi falou sobre “Reiki: a ciência investigando a tradição”. A história começou em 2003, quando Monezi apresentou uma dissertação de Mestrado na USP. Nesse estudo afirmou que, mediante técnicas de imposição de mãos (reiki especificamente), camundongos apresentaram um aumento de resistência imunológica, dobrando sua capacidade de reconhecer e destruir células cancerígenas.

Os praticantes do reiki acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. “O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum tipo de tratamento; o grupo “controle-luva” recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo “impostação” teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.

A equipe de Monezi vem analisando, desde 2005, os efeitos do reiki em seres humanos. “Este estudo culminou com o meu doutorado e pós-doutorado, no qual venho obtendo resultados promissores que sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão”, afirmou­­­­, agregando que o trabalho continua na Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).

Durante o Seminário de Ayurveda, Giovani Cherini recebeu dos profissionais da área sugestão de projeto de lei para regulamentar a terapia no Brasil. De acordo com o Dr José Ruguê Ribeiro Júnior, Ayurveda é um sistema tradicional de saúde integral de origem na Índia reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo muito útil no Brasil por resgatar a cultura local, dando ênfase à prevenção que busca a integração corporal, mental e espiritual por métodos naturais.

No salão principal, a escritora e pesquisadora Elma Sant’Ana falou sobre “Benzedeiras e benzeduras”. Geógrafa e pós-graduada em Ecologia Humana e Folclore, é autora do livro “Parteiras, Benzedeiras e Benzeduras”. Antes, porém, o prefeito de Rebouças (PR), Claudemir dos Santos Herthel, fez um depoimento sobre o reconhecimento do trabalho das benzedeiras como ofício tradicional da saúde no Brasil.

De acordo com a escritora, as benzedeiras, em geral, são pessoas com pouco ou nenhum estudo: “são humildes e moram, na maioria das vezes, em casas desprovidas de conforto. Todas se dizem de formação católica. Não cobram, mas aceitam presentes que geralmente são do gênero alimentício”.

Segundo a pesquisadora, entre os males que afligem os homens, a doença é o mais frequente. “A cura, com base na força miraculosa com poderes sobrenaturais, sempre foi constante em sua existência, através dos tempos, e entre diferentes partes do mundo”, destacou. Referiu que a história evidencia que o homem começou a procurar meios de se livrar das doenças criando uma medicina popular. “Dentro da medicina popular no Rio Grande do Sul, é a benzedeira que tem todos os métodos não ortodoxos no exercício da cura e, afinal, o que todos querem é estar vendendo saúde”, acentuou.

Elma informou que a prática de benzeduras funciona como importante aliado da medicina científica, contendo muitos aspectos favoráveis. “Sua eficácia está na fé e na crença das pessoas”, disse, considerando que alguns médicos, especialmente da área rural do Estado, reconhecem que a benzedura faz parte do dia a dia do povo e não intervém das suas decisões.

Elma disse ainda que as parteiras e benzedeiras têm sido reconhecidas pelas comunidades, recebendo das autoridades diplomas de reconhecimento.

O Dr Sérgio Areias debateu sobre “Biocomunicação Instrumental – Tecnologia de ponta para a saúde”. Com uma tecnologia inovadora, premiada em todo o mundo, o Quantec – equipamento de biocomunicação – trata de vários pacientes com eficácia, rapidez que surpreende até os cientistas mais céticos.

Premiado internacionalmente como a melhor inovação no desenvolvimento da saúde em 2010, é a nova medicina com base na física Quântica. “Biocomunicação é toda e qualquer informação que afeta a vida”, descreveu, acentuando que a parte científica confirma como cada bioinformação afeta a saúde, além dos conceitos que integram campos dos seres humanos, desde questões espirituais, mentais, emocionais e físicas. Informou, ainda, que o equipamento trata de autistas, de diabéticos, de doentes com problemas cardiovasculares e até de plantações, entre outros.

A facilitadora licenciada Dulce Ferraz falou sobre “Tecnologias de Grigori Grabovoi”. Segundo relatou, Grigori Grabovoi é um cientista e paranormal russo que afirma que o universo é um sistema de informações que vibram em várias frequências e que todo ser humano, por meio da conscientização desses conhecimentos, tem a capacidade de tornar-se o comandante de seu destino direcionando os acontecimentos de sua vida e também influenciando o destino da coletividade. Ao traduzir o conhecimento da alma para a fase lógica, informou podemos usá-lo de forma consciente em busca da saúde,

Para resumir, Dulce disse que a alma gera frequências de luz e informações, o espírito transfere essa informação da alma para a consciência e a consciência recebe a informação realizando-a em forma de objetos (matéria) que percebemos ao nosso redor. “Transformando a informação, o ser humano transforma a si mesmo e o mundo ao seu redor”, afirmou.

“O mundo depende diretamente da consciência do ser humano. Para transformar o mundo, basta o desejo do ser humano de se perceber. Se autopercebendo, o ser humano encontra seu criador e a criação. O ser humano pode entrar em contato diretamente com o criador e com a criação somente quando ele se autopercebe”, ratificou.

No entender da terapeuta, o criador encontra-se em cada ser humano, na sua alma e em tudo que é criação: “Ele é sua própria criação. A alma do ser humano é parte da alma do criador, e tudo que tem alma no mundo vivenciável manifesta-se através da consciência. Quando o ser humano se desenvolve espiritualmente, ele sempre encontrará seu criador. Nesse caso, o ser humano recebe possibilidades infinitas e força criativa”, concluiu.

Lembrou que Grigori Grabovoi disse que cada ser humano pode usar esse tipo de conhecimento a fim de alcançar resultados maravilhosos: “Isso nos lembra a profecia de Jesus há 2000 anos: Tenham fé em mim e vocês farão coisas que serão maiores do que as minhas”.

Uma regeneração de órgãos é possível, segundo Dulce Ferraz, porque a informação sobre o órgão saudável está armazenada para sempre em um campo informativo: “o corpo físico humano é uma estrutura manifestada que se desenvolve a partir de uma estrutura informativa determinada pela criação, uma matriz primordial”. Ao final, fez uma vivência de relaxamento com o público.

Na sequência, a terapeuta Maitê Luz falou sobre “Arteterapia: Conversando com o inconsciente”. Explicou que a Arteterapia é a ciência e a profissão que se utiliza de qualquer forma de arte (recursos expressivos de artes visuais, música, dança, canto teatro, literatura) como veículo de comunicação com o inconsciente do nosso consciente.

De acordo com Maitê, trata-se de processo terapêutico na busca do autoconhecimento e da autoexpressão do paciente. “Por meio da arte, o terapeuta descodifica os sentimentos expressos através da arte, sejam os mais simples até os mais complexos”, ressaltou a especialista, acentuando que, após conversa com o paciente, o profissional chega ao cerne do problema mais eminente. Segundo ela, o processo terapêutico acontece de forma individual ou em grupo.

Maitê disse ainda que, por meio da Arteterapia, a pessoa pode se conhecer melhor e expressar aquilo que não consegue verbalizar. Caracteriza-se por ser transdisciplinar tendo sua atuação, principalmente, nas áreas das artes, da educação e da psicologia.

Por intermédio da expressão artística do pensar sobre os produtos resultantes, complementou que as pessoas podem aumentar o conhecimento sobre si mesmas, aprendendo a lidar melhor com sintomas de stress e experiências traumáticas, melhorar seus recursos cognitivos, além de poderem usufruir propriedades revitalizantes da produção artística.

Ao final, Maitê Luz e sua equipe fizeram uma dinâmica intitulada de ‘artepsicoterápica’ com o público. Exibiram oito figuras para cada um designar o que significava e, depois, escrever uma poesia com todas as palavras.

O professor Padilla, Luiz Roberto Nuñes, palestrou sobre o tema “Como evitar a má alimentação prejudicial à capacidade cognitiva e a mediunidade”. Segundo ele, a saúde consiste no funcionamento pleno do equipamento corporal. “A civilização, em contrapartida, ao conforto proporcionado pela estratificação, sufocou a sabedoria alimentar. A infinidade de opções da industrialização e a avalanche de informações atordoam o indivíduo. Ingerimos nutrientes insuficientes e toxinas”, disparou.

Informou, na oportunidade, que a intuição-mediunidade faz parte do processo de comunicação e, juntamente com o processo de pensamento, demandam um terço da energia corporal. “Por isso, se o equipamento corporal não está em pleno funcionamento, essas capacidades serão severamente prejudicadas”, afirmou.

Na sua avaliação, grande parte das enfermidades poderia ser evitada mediante cuidados elementares como, por exemplo, evitar ingerir alimentos acidificantes. “Há mais de 70 anos, o Prêmio Nobel de Fisiologia foi outorgado pela descoberta de as células cancerígenas demandarem um ambiente ácido para proliferar. Isso é tão importante que deveria ser parte do Ensino Fundamental”, argumentou. Contudo, advertiu que a população ignora e, por isso, acha normal consumir produtos ácidos como o são grande parte dos industrializados, especialmente os refrigerantes.

O professor Padilla destacou, ainda, que cuidados com a alimentação são o melhor investimento de tempo e energia que uma pessoa pode fazer, “pois resultarão em um funcionamento melhor do processo de pensamento e de comunicação, leia-se, a mediunidade”. Além disso, salientou que não apenas a capacidade de memória pode melhorar, como também a longevidade. “O equipamento corporal humano pode durar 150 anos com eficácia e pleno funcionamento, tempo suficiente para atingirmos a iluminação e, ao invés de morrer por degradação, transmutar-nos em energia”, concluiu.

Padilla é professor da UFRGS, fundou a disciplina de Direito Desportivo em abordagem transdisciplinar centrada na Qualidade de Vida, é Especialista em Processo (UFRGS), Master NLP (DolphinTech), Mestre no estudo aprofundado do ser humano (Salamanca/Espanha).

Ao final do dia, a psicóloga e terapeuta Eloir Severo promoveu a “Maratona da Felicidade” por meio da Biodança. Segundo ela, esta técnica ativa a luz interior visando a seguir para um caminho pela existência deixando um legado de amor. “É no encontro humano que se dá a transformação”, afirmou, destacando que a Biodança libera neurotransmissores do bem-estar. Na avaliação da psicóloga, esta técnica tem uma visão evolucionária da história. “Um dia a luz há de chegar nos corações e a maldade irá desaparecer e, então, o amor será eterno novamente”, disse.

Terceiro dia

No terceiro e último dia do encontro, 13/03, Giovani Cherini fez um exercício de relaxamento com o público e destacou o papel dos terapeutas na transmutação de energia, especialmente em relação aos jovens, “a quem cabe o futuro”. Em seguida, junto coma terapeuta Eloir Severo, fez uma terapia de reconciliação buscando as raízes com a família, destacando a mãe, o pai, o filho, a filha e os amigos. Destacou o papel do perdão em todas as relações e na crença dos sonhos por um mundo melhor e mais feliz. “O mundo é aquilo que eu quero, que eu vejo, e o caminho é o amor”, afirmou. “Seja um sonhador, vale a pena”, aconselhou.

A Dra Rosângela Arnt, médica especialista em Nutrologia, falou sobre “As essências vibracionais de ação quântica modulando a saúde integral”. Na palestra discorreu sobre as bases científicas para o uso das essências vibracionais de ação quântica; mostrou sua aplicabilidade na saúde integral; e exemplificou os casos clínicos, todos já publicados em forma de artigos científicos, dando mais credibilidade e ciência para os tratamentos complementares e interativos quânticos.

“As essências vibracionais florais com tecnologia quantun health patenteada são produtos frequenciais que transmitem informação para as células, harmonizando as funções e modulando a saúde do organismo”, acrescentou.

Na oportunidade, a terapeuta forneceu dicas para um usar em si, em familiares e em amigos, com a garantia de bons benefícios. Rosângela é consultora científica independente em Saúde Quântica e Nutracêuticos. Autora de livros, entre eles o “Vademecum das Essências Vibracionais”.

Em seguida foi realizado o Seminário de Benzedeiras.

Para falar sobre “Fitoterapia Chinesa – Um novo marco para o Brasil” foi destacado o especialista Dr Wu Tou Kwang: 1º aluno da Faculdade de Medicina da USP no vestibular de 1970; 1º aluno da Faculdade de Medicina da USP na formatura em 1975 e especialista em Cirurgião Vascular, Medicina do Trabalho e Administração Hospitalar. Falou sobre os fundamentos da Medicina chinesa e citou a acupuntura e a fitoterapia (plantas medicinais) como principais técnicas chinesas.

Os principais instrumentos utilizados pelas técnicas chinesas são as seguintes, de acordo com o médico: agulhas, digitopressura, fricções, calor, pedra Bian, ventosas, sementes, plantas, emplastros, ímãs, laser, eletroestimulação, ultrassom, piezoelétrico, placas metálicas, esparadrapinhos especiais, pastilhas de silício, luzes coloridas, diapasões, titânio com NP, Cristais Radiônicos, Reich, papeis, Ice Wave, Tenki-U, e Íon Nanopuntura.

Na sequência, o psicoterapeuta reencarcionista, Mauro Kwitko, palestrou sobre o tema da sua especialidade como “uma nova escola psicológica baseada na reencarnação”. Ele é médico formado pela Faculdade de Medicina da UFRGS em 1971. Especializou-se em Pediatria, Homeopatia e Terapia Floral. Em 2009, se licenciou do Conselho de Medicina para poder se dedicar livremente à organização, expansão e sedimentação da Escola de Psicoterapia Reencarnacionista. É fundador e presidente da Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista e da Casa Beneficente de Terapia e Caridade.

De acordo com Kwitko, a Psicoterapia Reencarnacionista é uma moderna Escola psicológica que agrega a reencarnação e visa a ajudar a todos nós a mudarmos a visão que temos da nossa infância e dos fatos/pessoas/situações da nossa vida para a visão que o nosso Espírito e os nossos Mentores Espirituais têm a esse respeito. “É o que chamamos versão-persona X Versão-Espírito. Isso requer um tratamento de alguns meses ou anos, de consultas semanais, a cada 10 dias ou quinzenais e algumas sessões de Regressão”, afirmou, complementando que os nossos mentores nos mostram as vidas passadas que eles entendem que devemos recordar e/ou nos desligarmos delas.

Conforme sua explicação, os pilares da Psicoterapia Reencarnacionista são: a mudança da “versão-persona” para a “versão-espírito”, em que o comando dos nossos pensamentos vai, gradativamente, passando do nosso ego para o nosso Eu Superior; a Personalidade Congênita (padrão comportamental similar ao atual que revelamos há várias encarnações) e onde encontramos a nossa proposta de Reforma Íntima; relembrar para o que reencarnamos, a nossa programação pré-reencarnatória e iniciarmos ou intensificamos uma verdadeira Reforma Íntima para oportunizarmos um real aproveitamento dessa atual encarnação; e a busca de resgate com antigos desafetos através de uma releitura de nossa infância.

Essa nova Psicoterapia, de acordo com o terapeuta reencarcionista, nasceu com a finalidade de trazer à Psicologia e à Psiquiatria uma possibilidade de expansão nunca antes imaginada. “A reencarnação é agregada aos conceitos psicológicos e psiquiátricos, criando uma nova maneira de encarar os conflitos de todos nós. Não é sinônimo de Terapia de Regressão, é a sua expansão, é o embrião da Psicologia do Século 21.”, concluiu Kwitko.

Logo depois, o Dr José Ruguê Ribeiro Júnior e Erik Schulz palestraram sobre “Ayurveda, uma forma integral de cuidado com a saúde”. Médico, Dr Ruguê é pesquisador sobre o uso no Ocidente, principalmente ervas brasileiras, para fins ayurvédicos e especialista em tratamento Panchakarma.

De acordo com o pesquisador, ayurveda é um sistema de medicina tradicional da Índia e detém grande importância na prática da prevenção e cura no mundo atual. Por ser uma forma natural de saúde, informou que a ayurveda é conhecida como a ciência da vida, parte do princípio que cada pessoa é única e deve ser tratada de maneira específica em termos de alimentação, estilo de vida, prática do yoga, uso de medicamentos naturais e práticas de meditação.

Informou que a técnica dá ênfase ao estímulo da imunidade e da resistência individual para enfrentar situações de stress, de ordem física ou psicológica de maneira a se manter saudável e em equilíbrio.

Como resultado final do tratamento, o Dr José Ruguê informou que a pessoa passa a adquirir mais força e resistência a fim de partir em busca de seus objetivos: prosperidade, felicidade, realização dos talentos e busca espiritual.

O próximo a falar foi Jucelino Nóbrega da Luz, sobre o tema “O mundo não pode esperar por 2020”, no qual questiona se será tarde demais e como poderemos estar até lá. O principal objetivo do tópico escolhido foi mostrar que existem ainda oportunidades para uma mudança interior e exterior em nossas atitudes, além da recuperação da energia perdida ao longo de nossas vidas, “energia espiritual essa que perdemos com o excesso de diálogo interno que se forma a partir de eventos marcantes da existência e cotidianos, inclusive”.

E esse diálogo interno, junto aos eventos vividos, conforme relatou, formam nós de energia que tornam nossa visão fixa acerca de fatos vivenciados nos sonhos premonitórios e, assim, adquirimos um padrão de comportamento fixo e não repetitivo em relação a destruição do nosso meio ambiente. “Esse padrão de comportamento gera um campo de energia que define e conduz todas as nossas escolhas”, assinalou.

Ressaltou que os pensamentos positivos movimentam as energias, dissolvendo-se alguns dos nós energéticos acumulados no planeta e, através dessas energias, é possível adquirir nova fluidez, uma vez que se dissolve e/ou movimenta os laços energéticos que bloqueiam nosso convívio no Planeta Terra.

Após o intervalo, foi realizada uma vivência, seguida da palestra da professora e praticante da técnica energética EMF (campo eletromagnético), Gláucia Cerioni, a quem coube o assunto “Pedagogia 3000 e Equilíbrio da nossa malha no EMF Balancing Technique”, já presente em mais de 70 países.

Seu objetivo foi mostrar a experiência na aplicação do programa A Malha para Crianças em espaços de contra turno e escolas, promovendo aos menores em idade de Ensino Fundamental a consciência e compreensão de que Somos Energia e Criamos Nossa Realidade.

Conforme elucidou, trata-se de uma experiência do próprio campo eletromagnético e padrões sagrados, sendo EMF Balancing Technique, uma Técnica de Equilíbrio do Campo Eletromagnético.

Informou que cada sessão, que dura cerca de uma hora e meia, promove um poderoso realinhamento dentro da anatomia energética, que fortalece a Universal Calibration Lattice (Malha de Calibração Universal-UCL), permitindo melhor circulação de energia, favorecendo a remoção de bloqueios energéticos e maior liberdade em sua vida diária. “Este é um fator importante para estar em sociedade com o campo de energia unificado ou a Malha Cósmica”, afirmou.

Ao mesmo tempo em que o procedimento para cada sessão é o mesmo, informou que a calibração (ou fortalecimento) é único para cada pessoa que recebe a sessão. “A calibração é determinada por sua sabedoria interior, uma expressão de sua configuração pessoal eletromagnética”, finalizou.

O engenheiro de sistemas de tele automação Boris Petrovic falou sobre “Energia Livre e Sistema Teslabio da Bioeletrografia Digital”. Nascido em Belgrado, na Sérvia, mora atualmente no Brasil, em Itiquira (GO), onde pretende estabelecer um centro internacional de tecnologia com uma parceria com o Instituto Itiquira de Formosa. Parente do cientista Nikola Tesla, estudado detalhadamente a camada de magnetosfera da Terra, a ionosfera e a reconexão magnética. É associado com a Sociedade Serviana Nikola Tesla em Belgrado (Sérvia), com a Fundação Científica Tesla na Filadélfia. É membro fundador do Fórum Noosférico.

Por meio de um programa de cooperação com o Instituto ISRICA (Instituto de Pesquisa Científica Internacional para Antropo-Ecologia Cósmica), em Novosibirsk, Rússia, e com a Fundação da Lei do Tempo em Oregon, EUA, ele trabalha com as pesquisas sobre consciência cósmica e sobre os métodos de acesso aos estados alterados e intensificados da consciência, inclusive o tempo não linear e a telepatia.

A pesquisa realizada no seu laboratório, em Belgrado, sobre a transferência de tecnologia sem fio Tesla, revela o campo de energia potencial que existe de “localidade instantânea” que subjaz nossa realidade e facilita a comunicação com os vizinhos cósmicos da Terra.

Na sua palestra lembrou que Nikola Testa foi um cientista mundialmente famoso, pai do campo magnético rotativo, corrente alternada, tele automação e energia sem fio. Advertiu que grande parte dos investimentos atuais focados para pesquisa é priorizada à obtenção de lucros e conquistas ao invés de visarem aos benefícios à humanidade. “Se direcionarmos a pesquisa científica para o aumento da energia humana e para o avanço da nossa civilização, podemos construir a tecnologia da paz. Os egos dos cientistas, em busca da realização pessoal, estão limitando os resultados da evolução cósmica. As aplicações da ciência da paz devem estar direcionadas para as tecnologias das fontes abertas, beneficiando toda a humanidade e removendo a distância tecnológica entre as nações”, afirmou.

Chamou a atenção, também, que a percepção humana está, atualmente, limitada à experiência e às informações provenientes da ciência – teorias, observações e experimentos. Preveniu que o método científico depende da experimentação, usando os instrumentos do século 21 com uma resolução de medidas que se estende apenas às partes relacionadas com o comprimento das ondas da existência total.

“Da mesma forma, o corpo humano, através do sistema de antenas que possui (teia neuronal que se espalha dentro da espinha dorsal e cérebro), age como o instrumento mais sensível para a observação do cosmos. Assim sendo, tanto a percepção que temos de nós mesmos como a do mundo ao nosso redor e do cosmos ficarão alteradas”, avisou.

Alertou que a situação atual da nossa civilização é caótica, uma vez que se vivencia uma fase de bifurcação do campo mental da Terra em direção à Noosfera. “Os seres humanos estão despertando para uma nova consciência do sutil vibracional da Terra, do canal telepático para o envio de informações, bem como da possibilidade de transferência de energia através do planeta utilizando um processo poderoso geofísico”, relatou.

Atentou que o campo mental constitui o mundo das causas. “Para mudar o curso dos eventos, precisamos acabar com a poluição entre o corpo causal planetário e o fenomenal, de forma que tudo se torne uma manifestação da verdade”, salientou.

No Brasil, disse, acontece um fenômeno muito especial na região Sul, conhecido como “Anomalia Magnética do Atlântico Sul”, que possibilita a expansão da sensibilidade das antenas humanas, propiciando, inclusive, o contato telepático. Segundo o especialista, esse fenômeno natural do campo magnético da Terra nos leva a afirmar que nas principais partes do Brasil é possível encontrar localidades, das mais potentes, para o estabelecimento da Biointernet cósmica, com seres humanos conectados e acessando a consciência planetária.

“Precisamos de uma plataforma global estabelecida e uma estrutura para o fortalecimento da ecologia espiritual. Precisamos criar novos modelos de comunidades autossustentáveis que pratiquem a conectividade Noosférica”, concluiu.

Logo em seguida, o padre psicoterapeuta e parapsicólogo Hilário Dewes adentrou no assunto “A biologia e a força das crenças”. Com formação em filosofia, teologia, hipnose, psicanálise, parapsicologia clinica. Segundo explicou, três afirmações são semelhantes: o universo conspira a favor de tudo o que se coloca na mente; tudo o que se registra no subconsciente, torna-se realidade – A lei da Criação; e tudo o que pedires ao Pai, se tiverdes fé, Ele vos concederá.

Na sua visão, a parapsicologia, tendo como ação número um a programação e reprogramação do subconsciente, trabalha o ser humano capacitando-o a construir uma vida com liberdade interior, capacidade de superação e melhor administração de toda e qualquer situação que se apresente na vida.

“Creio que as crenças verdadeiramente determinam em grande parte o ser, viver e compreender a vida e a historia de todo o ser humano”, acentuou, destacando que ao ver diante de si uma pessoa que sofria de fibromialgia, dos 25 aos 59 anos, sentir-se livre de toda e qualquer dor em três dias, passou a trabalhar com mais firmeza e convicção ao poder das crenças.

Especificou que crença deve possuir convicções profundas e históricas religiosas e não religiosas que vão programando a mente humana. “E reprogramando a mente pela hipnose compreendendo os três passos: a compreensão; a repetição; e a imaginação. Dessa forma a verdade vos libertará!”, finalizou.

Na sequência, o médico psiquiatra Paulo Urban foi o responsável pela palestra “Psicoterapia do Encantamento e Mitologia Pessoal – por que toda alma nasce constelada”. Criador de sua própria abordagem psico-clínica, explicou que a Psicoterapia do Encantamento é uma espécie de processo de peregrinação interior, cujo maior propósito é o de trazer à consciência ao que chama de Mitologia Pessoal que cada um de nós traz na alma, desde o sagrado instante do “matricialmente constelada”.

Segundo o especialista, a Mitologia Pessoal é a chave arquetípica de nossa missão terrena, “razão pela qual todo o processo terapêutico-vivencial proposto pela Psicoterapia do Encantamento consiste, sobretudo, em explorar a fundo essa Mitologia e interpretá-la à luz da Alquimia e da psicologia arquetípica, nossos dois mais importantes mapas náuticos para que não nos percamos pelos mares e pelos labirintos do psiquismo mais profundo”.

“É esta, em suma, a ‘pedra de toque’ de todo o processo psicoterapêutico proposto pelo Encantamento, pois importa a cada um de nós, heróis que somos de nossa própria jornada, conhecer nosso essencial papel, saber o que vimos fazer neste mundo. E quando despertarmos para o real sentido de nossa pessoal missão será porque demos com a linha em meio ao labirinto da existência; nessa hora, entraremos na posse de nós mesmos, quando, então, toda alma, em júbilo e graça por descobrir-se assim, encantada com as maravilhas da vida, encontra também seu verdadeiro encanto (en + canto), o ‘canto que vem de dentro’, única voz capaz de cantar e alegra-se em perfeita sintonia com a ‘Grandorquestração’ divina, a Música das Esferas de mestre Pitágoras”, relevou.

Na prática, salientou que a Psicoterapia do Encantamento cumpre, ainda, um Grande Rito Iniciático (voltado ao autoconhecimento), estruturado sobre 4 Graus (por influência pitagórica) clínicos e vivenciais, cada um deles representado por um golfinho de cor diferente, respectivamente associados a um dos 4 elementos da natureza. O Primeiro Grau, representado pelo Golfinho Laranja, acha-se relacionado ao elemento AR (Sessões de Hiperventilação), o Segundo Grau, associado ao Golfinho Verde, está ligado ao elemento ÁGUA (a Psicoterapia Clínica, propriamente dita), o Terceiro Grau, Golfinho Branco, ao elemento TERRA (Ritos Xamânicos de cura), e o Quarto Grau: Golfinho Lilás, ao elemento FOGO (Ritos Iniciático e/ou de Peregrinação).

Para concluir, Paulo Urban afirmou que o melhor da existência é vivê-la com encanto.

O fechamento do ciclo de palestra aconteceu com a preleção da médica psiquiatra e professora de meditação, Dra Anmol Arora, que abordou o tema “Amor universal e espiritualidade”. E recomendou logo de início: “se não tiver o que disser, fale de amor”.

Segundo a professora, amamos em três níveis: o primeiro é o amor condicional e está ligado ao gosto/desgosto e o contrário, em geral, é o ódio. O segundo é o amor incondicional, que se baseia na aceitação, sem crítica, sem julgamento e com compaixão. O terceiro é o amor universal por meio do sentimento de unidade, se estende a tudo e a todos e está relacionado à evolução espiritual.

Na oportunidade, ela ensinou exercícios de respiração e técnicas de meditação para pessoas que buscam combater problemas como ansiedade e insônia. Ensinou, também, a métodos de meditação para fortalecer as intenções e alcançar os objetivos.

O grande mentor do evento, Giovani Cherini fez o encerramento com o lema “Como ser gente de bom coração”, novamente com a participação especial da Eloir Severo que complementou a segunda parte da Maratona da Felicidade com uma vivência musical. Tanto a equipe no palco como o público ficou de mãos dadas formando uma grande onda do amor em balanço cadenciado.

Cherini destacou a importância dos terapeutas no trabalho com a prevenção das doenças para que as pessoas tenham mais saúde. Agradeceu a participação de todos e já anunciou a data da 11ª edição do Encontro Holístico, que será realizado nos dias 24, 25 e 26 de março de 2017, também no Centro de Eventos do Hotel Plaza São Rafael.

Texto por: Terezinha Tarcitano – Jornalista
Foto: Sérgio Martins

Mais informações: http://giovanicherini.com/encontroholistico/

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *